Aspiração de Corpo Estranho

Aspiração de Corpo Estranho

 

Acidentes na infância são importantes causas de morbidade e mortalidade no mundo!

Correspondem a aproximadamente 53% dos agravos à saúde de crianças e jovens no Brasil e são a primeira causa de mortalidade entre 1 e 19 anos, apesar das campanhas de prevenção de acidentes, discussões nas escolas sobre trânsito e maior difusão dos aspectos preventivos entre os pediatras.

Dentre os acidentes, destaca-se a aspiração de corpo estranho (ACE) da via aérea. Estatísticas americanas demonstram que 5% de óbitos por acidentes em menores de 4 anos se devem à aspiração de corpo estranho e esta aparece como a principal causa de morte acidental nos domicílios em menores de 6 anos.  No Brasil, a aspiração de corpo estranho é a terceira maior causa de acidentes com morte.

 Aspiração de corpo estranho em crianças está associada à falha no reflexo de fechamento da laringe, controle inadequado da deglutição e hábito de levar objetos à boca. O descuido ou desaviso dos pais com determinados objetos passíveis de aspiração, como pequenos brinquedos e certos alimentos são fatores predisponentes.

O diagnóstico precoce da aspiração de corpo estranho é essencial, pois o retardo no seu reconhecimento e tratamento pode levar a seqüelas permanentes  ou dano fatal.

 Nesse estudo retrospectivo, descritivo analisando prontuários de todas as crianças menores de 14 anos de idade atendidas no Hospital das Clinicas da Universidade Estadual de Campinas de janeiro de 2000 a dezembro de 2005, submetidas à broncoscopia (exame endoscópico do pulmão) por suspeita clínica de aspiração de corpo estranho.

Foram analisados 69 pacientes, com idade entre 8 meses e 12 anos/7 meses (75,4% abaixo de 3 anos), dos quais 62,3% eram do sexo masculino. A principal queixa foi tosse súbita (75,4%). Em 74% dos casos houve alteração de ausculta pulmonar e dispnéia(falta de ar) foi observada em 20 crianças (29%). Um total de 88% apresentou alteração radiológica. A aspiração ocorreu predominantemente em pulmão direito (54,8%), com material de origem vegetal, destacando feijão e amendoim (30,7%).

Comentário: Esse trabalho do Dr. José Dirceu Ribeiro e seus colaboradores mostra a importância de nós pediatras pensarmos sempre na possibilidade de aspiração de corpo estranho em uma criança pequena (principalmente em menores de três anos) com início súbito de tosse pós engasgo, principalmente se a criança tem alteração na ausculta pulmonar e alteração no Rx de toráx.  O pediatra tem a missão de orientar aos pais quanto aos cuidados com as crianças pequenas.  Alimentos como amendoim, castanhas não devem ser dados a crianças menores de três anos, brinquedos com peças pequenas também devem ser evitados nessa faixa etária. Crianças pequenas necessitam de supervisão constante de um adulto.

Orientação de noções básicas das técnicas de desobstrução de via aérea alta é importante para a população leiga, principalmente para pais e cuidadores de crianças, uma vez que esse conhecimento pode salvar vidas.

Fonte: Resumo do artigo publicado no Jornal de Pediatria, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Autores: Dr. José Dirceu Ribeiro e colaboradores, Universidade Estadual de Campinas.

Comentário: Dra. Francisca Rosangela A. Castro, Pediatra, Alergista e Pneumologista Infantil.