Bebê Chiador

Bebe Chiador

Crianças menores de dois anos que apresentam quadro de sibilância contínua (chiado no peito contínuo) há pelo menos um mês ou, no mínimo, 3 episódios de sibilos(chiado) em um período de 2 meses são chamados Lactentes ou Bebês Chiadores. A asma é uma entre as várias causas de chiado no peito nesta faixa etária.

Em menores de 5anos, a asma pode ser confundida com outras doenças, essa dificuldade no diagnóstico, associada à falta de instrumentos padronizados para verificar sua prevalência (ocorrência) em pré-escolares e escolares, resulta na falta de dados sobre a doença em crianças de baixa idade. Daí a importância da criança ser avaliada pelo especialista, alergista ou pneumologista infantil.

Muitas crianças apresentam sintomas de obstrução brônquica antes dos 5anos, principalmente sibilos (chiado) e tosse. Estudos mostram que a maioria dos bebês apresenta pelo menos um episódio de chiado no peito no primeiro ano de vida, uma parcela menor pode ter três ou mais episódios, com ocorrência maior em países em desenvolvimento.

Metade das crianças que chiam no início da vida deixa de fazê-lo aos cinco ou seis anos de idade, são os chamados Sibilantes Transitórios, nos quais existe relação com a redução do calibre (diâmetro) das vias aéreas, causados por: infecções virais, fumo materno, poluição, fatores genéticos e prematuridade. Nesse grupo não há história familiar ou pessoal de alergia.  Elas nascem com uma função pulmonar reduzida quando comparadas às que nunca chiaram.

Há um segundo grupo, também de início precoce, mas que persiste com os sintomas após os três anos de idade, nos quais o teste alérgico é positivo, são os Sibilantes Persistentes Alérgicos. Esses pacientes têm alergia e devem ser tratados pelo alergista ou pneumologista infantil.

O terceiro grupo, chamado Sibilantes Tardios, estes apresentam chiado no peito recorrente de início tardio, mas com tendência ao desaparecimento na pré-adolescência. Essas crianças não apresentam história familiar ou pessoal de alergia, por isso são também chamados, Sibilantes não Alérgicos Persistentes. Infecções respiratórias são os principais desencadeantes dos sintomas nesses pacientes.

O risco de desenvolver chiado no peito no início da vida está aumentado no sexo masculino, nas crianças que freqüentam creches, que são expostas a fumaça de cigarro e poluição, que têm contato com altos níveis de toxinas e de alérgenos no ar ambiente, como ácaro, baratas e pêlos de animais.

Os fatores associados a chiado no peito recorrente são resultantes da interação gene-ambiente. Este é um problema comum nesta idade e é responsável por um grande número de internações e às vezes de tratamento em sala de emergência.

A prevenção da asma no lactente consiste em evitar tudo que possa sensibilizar a criança, ou seja, o fumo em casa e o controle dos alérgenos do ambiente doméstico. A amamentação exclusiva até os 6 meses de idade também ajuda na prevenção da asma.

Quando a criança tem outros sintomas da alergia como dermatite atópica, rinite alérgica, conjuntivite alérgica ou alergia alimentar, existe um potencial para o bebê chiador ser considerado asmático. E nesse caso deverá fazer acompanhamento com o especialista na área da alergia infantil, da pneumolgia infantil, podendo mesmo necessitar de avaliações da oftalmologia ou da dermatologia.

Fonte: Artigo de revisão do Jornal de Pediatria 2010 - Dr. Herberto José Chong Neto e Nelson Augusto Rosário