Conjuntivite Alérgica

Conjuntivite Alérgica

 

ORIENTAÇÕES PARA O PACIENTE E SEUS FAMILIARES

Conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, a camada fina e transparente que cobre os olhos e a parte interna das pálpebras. Conjuntivite é a doença ocular mais comum, atingindo cerca de 5 a 20% da população em geral. É uma doença crônica, recorrente (vai e volta), podendo levar a um comprometimento visual importante.

Metade dos pacientes com Rinite Alérgica apresenta Conjuntivite Alérgica, sendo então denominada Rinoconjuntivite Alérgica. Esta caracteriza-se por hiperemia ocular (vermelhidão),   prurido ocular (coceira), lacrimejamento e fotofobia (sensibilidade à luz). Acomete geralmente os dois olhos, podendo ser autolimitada, desde que a exposição aos alérgenos seja suspensa.

A conjuntivite alérgica é chamada sazonal quando os sintomas aparecem subitamente, após exposição aos alérgenos sazonais que, geralmente são polens encontrados em abundância na primavera. Sua forma crônica ou perene (permanente) apresenta sintomas semelhantes e geralmente está associada a alérgenos perenes, como ácaros. Quando o quadro é desencadeado por drogas, solução para limpeza de lentes de contato, irritantes e conservantes, a conjuntivite é chamada tóxica e sua manifestação pode ser aguda ou crônica, com sintomas semelhantes às anteriores.

A Conjuntivite Alérgica deve ser diferenciada da conjuntivite bacteriana, sendo essa última infecciosa. A Conjuntivite Alérgica não é transmissível. Tem relação com fatores genéticos e desencadeantes ambientais como poeira, ácaros, fumaça de cigarro, poluição, polens e outros.

O tratamento da Conjuntivite Alérgica deve ter simultaneamente acompanhamento do alergista e oftalmologista. É importante a adesão do paciente ao tratamento, pois muitas vezes a medicação deve ser mantida, mesmo nos períodos sem crise, para que haja o controle da alergia. Os testes alérgicos muitas vezes estão indicados para afastar uma possível causa específica, semelhante ao que ocorre com a Asma e a Rinite. Na maioria das vezes, apenas afastando-se a causa desencadeante e tratando-se a Rinite Alérgica, quando presente, controla-se a Conjuntivite Alérgica.

Às vezes, o paciente apresenta uma dermatite periocular associada, que também deve ser tratada, juntamente com a Conjuntivite, isso pode ser da área da alergia ou da dermatologia.

Fonte: Dra. Francisca Rosângela A. Castro

Alergia, Imunologia e Reumatologia em Pediatria, Guias de Medicina da UNIFESP - Escola Paulista de Medicina, Dr. Charles Napitz. 2006.