Dermatite Atópica

Dermatite Atópica

ORIENTAÇÕES PARA O PACIENTE E SEUS FAMILIARES

A Dermatite Atópica é uma doença inflamatória da pele, de curso crônico e recidivante (vai e volta).  Ocorre principalmente na infância. Manifesta-se durante o primeiro ano de vida em 60% das crianças afetadas e até o quinto ano em 85% dos pacientes. Sua gravidade diminui com o avanço da idade. Sua causa é multifatorial.  Envolve fatores genéticos e ambientais como, clima (frio e calor), em alguns casos alergia a ácaro da poeira, pêlos de animais, irritantes e alguns alimentos. Fatores emocionais podem também contribuir. Não é uma doença contagiosa. Vários estudos sugerem que a Dermatite Atópica é a primeira manifestação da marcha atópica, predispondo ao desenvolvimento de Rinite e Asma.

O quadro clínico inclui xerose da pele (pele ressecada), prurido da pele (coceira), que muitas vezes atrapalha o sono da criança e lesões com pápulas (calombos), vesículas (pequenas bolhas).  Sua distribuição pelo corpo é característica, envolvendo a face em bebês e as dobras dos braços e pernas em crianças maiores.

O tratamento consiste em evitar os fatores desencadeantes ou agravantes. É fundamental a hidratação da pele com loções hidratantes de boa qualidade. Cremes ou pomadas contendo corticóide, devem ser prescritos por seu médico, em função da idade do paciente, local afetado e o tempo de uso, para que não surjam efeitos colaterais. Corticoides são substâncias antinflamatórias. Imunomoduladores também tem ações antiinflamatórias, são drogas tópicas (uso local) mais recentes e com menos efeitos colaterais que os corticóides.

Antihistamínicos são prescritos para alívio do prurido (coceira), permitindo assim que a criança possa ter um sono mais tranqüilo, sem afetar suas atividades diárias.

Estas orientações são simples, importantes e eficazes no controle da Dermatite Atópica: Use no paciente sabonete neutro, roupas leves ou de algodão e evite as roupas sintéticas que dificultam a transpiração. Por último o acompanhamento psicológico pode ser necessário.

Lembre-se, é seu médico especialista em alergia ou dermatologia quem irá traçar um plano de tratamento que melhor se aplique ao seu caso.

Fonte: Dra Francisca Rosângela A. Castro

Alergia , Imunologia e Reumatologia, Guias de Medicina. UNIFESP- Escola Paulista de Medicina. Charles Naspitz, 2006

 

Associação de Apoio à Dermatite Atópica - AADA